Ailurofobia, sabe o que é?

O que é que Hitler, Mussolini e Napoleão Bonaparte tinham em comum? Ailurofobia. Sim, os três compartilharam o medo de gatos.

0
96

 

Ailurofobia é o medo de gatos irracional, transtorno psicológico contínuo. As pessoas que sofrem desta fobia não podem suportar ter um gato perto ou apenas ver o animal ou mesmo fotos, podendo sofrer taquicardia, ataques de ansiedade, dificuldades de respiração, etc.

Esta condição é criada pelo inconsciente como barreira de defesa por experiências negativas anteriores, mas também pode ser um medo que tem sido passado de geração em geração. Os gatos na Idade Média eram associados com bruxas e feitiços.

Mas são conhecidos outras personalidades famosas com medo de gatos: Alexandre, o Grande, Júlio César Genghis Khan, todos têm a reputação de ter sofrido de ailurofobia – o medo de gatos.

A escritora Katharine MacDonogh, autora de Reigning Cats And Dogs: A History Of Pets At Court Since The Renaissance (Gatos e cães: uma história de animais na corte desde o Renascimento) explica por que motivo Napoleão se desorientava tantas vezes por causa de um gato: “Ao longo da história, os gatos têm sido considerados como animais que possuem uma capacidade mágica para detectar as ambições arrogantes de ditadores, muitos dos quais foram, consequentemente, acusados de ailurofobia na evidência mais frágil.”

Apesar de tudo, os gatos vão atrás de quem não gosta deles

A má notícia para os ailurofóbicos é que os gatos parecem ser atraídos pelas pessoas que não gostam deles. Há uma explicação perfeitamente lógica para este comportamento. Os gatos não gostam de ser encarados, mas as pessoas que gostam de gatos tendem a olhar diretamente para eles e podem até começar a gesticular e fazer barulhos. O gatofóbico, por outro lado, vai permanecer imóvel, silencioso e tentar ignorar o animal, o que coloca o gato à vontade e torna-se convidativo.

Como curar a fobia de gatos

A boa notícia é que o medo de gatos, assim como outras fobias, pode ser superado. A terapia comportamental cognitiva é frequentemente muito eficaz, como a hipnoterapia. Melanie Phelps, uma hipnoterapeuta especializada no tratamento de pessoas com fobias, trata o medo de gatos. “A razão para fobias é mais commumente uma má experiência na infância”, diz ela. “Pode não ser algo de que eles são conscientes, mas nalgum lugar ao longo do caminho eles aprenderam que os gatos são assustadores e perigosos. É um instinto de luta ou fuga que foi desencadeado de forma inadequada.”

Assim, uma criança pode ser atraída por um gato pela sua aparência bonita, ou por parecer um brinquedo ou bichinho de peluche. Mas de seguida, pode sofrer um choque desagradável quando o “brinquedinho” expõe os seus dentes dentes e garras; ou os pais podem transferir a sua própria ansiedade sobre gatos para a criança. De acordo com Phelps, três a cinco sessões geralmente são suficientes para resolver fobias simples. A parte difícil é arranjar coragem suficiente para procurar ajuda em primeiro lugar.

Deixe uma resposta

Por favor insira o seu comentário
Por favor insira o seu nome