Proteção Animal Mundial impede venda ilegal de gatos selvagens

Sete animais foram resgatados nos Estados Unidos

0
669

A Proteção Animal Mundial (World Animal Protection), em parceria com o Departamento de Conservação Ambiental de Nova York (DEC) e representantes do santuário de animais, apreendeu sete gatos silvestres jovens – um Savannah, quatro Severais e dois Caracais – em Búffalo, Nova York (EUA).

Nativos da África, as duas últimas espécies citadas (na foto) foram recuperadas de um homem que as mantinha para, supostamente, vender ilegalmente como animais de estimação. Após a apreensão, os animais receberam cuidados veterinários de emergência tendo sido transportados com segurança para dois santuários nos Estados Unidos, onde ficarão permanentemente.

Todos os gatos estavam desnutridos e um dos Servais macho precisava de fluídos subcutâneos para sobreviver. “Estamos bastante satisfeitos com o resultado deste resgate de emergência. Com a ação, pretendemos chamar a atenção aos maus tratos de animais silvestres utilizados como pet em todo o mundo”, afirma João Almeida, gerente de campanha de vida silvestre da Proteção Animal Mundial no Brasil.

Assim como nos Estados Unidos, no Brasil, a venda de ambas espécies, a Serval e Caracal, é ilegal. E a posse, venda, permuta, transferência, troca e importação de animais silvestres como animais de estimação é estritamente proibida. Mas poucos países proíbem especificamente a propriedade de Servais ou Caracais como animais de estimação e a maioria não regula o comércio de animais silvestres.

Todos os anos, milhões de animais são caçados e vendidos no comércio de animais silvestres de estimação. A vida como um animal de estimação para uma espécie silvestre limita seu comportamento natural colocando em risco seu bem-estar fisiológico e psicológico, pois há privação de ambiente adequado, comida, espaço e condições climáticas ideias. “Gatos selvagens como estes são caçadores e podem pular cerca de 6m. Retirá-los de seu ambiente natural e sujeitá-los a uma vida em cativeiro como animal doméstico é cruel e perigoso. Seus instintos naturais e tamanho podem causar situações de risco para as pessoas que os cercam, especialmente pequenos animais  e crianças”, explica João Almeida.

A Proteção Animal Mundial acredita que os animais silvestres pertencem à natureza – esse é o único lugar onde eles podem viver livres da privação e do sofrimento inerentes ao cativeiro como animal de estimação.

Sobre a Proteção Animal Mundial (World Animal Protection)

Foto de Proteção Animal Mundial.

A Proteção Animal Mundial (anteriormente conhecida como Sociedade Mundial para a Proteção dos Animais) mudou o mundo para proteger os animais por mais de 50 anos. A organização trabalha para melhorar o bem-estar dos animais e evitar seu sofrimento. As atividades da organização incluem trabalhar com empresas para garantir altos padrões de bem-estar para os animais sob seus cuidados; trabalhar com governos e outras partes interessadas para impedir que animais silvestres sejam cruelmente negociados, presos ou mortos; e salvar as vidas dos animais e os meios de subsistência das pessoas que dependem deles em situações de desastre. A organização influencia os tomadores de decisão a colocar os animais na agenda global e inspira as pessoas a mudar a vida dos animais para melhor.

Para mais informações www.worldanimalprotection.org.br

Deixe uma resposta

Por favor insira o seu comentário
Por favor insira o seu nome