Alemanha: Abrigos suspendem adoções de animais durante época de Natal

Para evitar a tentação de adotar um animal por impulso que, muitas vezes, era abandonado depois do Natal, diversas instituições em todo país decidiram suspender as adoções dos animais ao seu cuidado.

0
2306

Vários abrigos de animais na Alemanha suspenderam a adoção no período do Natal. A iniciativa procura proteger cães, gatos e outros animais, como os coelhos, do abandono após serem levados dos locais por impulso como prenda natalícia.

No abrigo de animais em Berlim, o maior da Europa, a adoção será interrompida entre 19 e 27 de dezembro. “É para evitar os presentes impulsivos”, afirmou uma porta-voz do local. Segundo ela, muitos animais são escolhidos a curto prazo e sem pensar, possivelmente, por falta de ideias ou sem consultar a família.

Frequentemente, os desejos das crianças costumam mudar rápido e o presente acaba por se tornar uma péssima ideia. Segundo os abrigos, muitos dos animais adotados neste período são devolvidos ou acabam abandonados.

A pausa na adoção tem dado resultado nos últimos ano. Em Bremen, por exemplo, desde que foi tomada esta decisão, a devolução de coelhos, hamsters e periquitos diminuiu significativamente após o período de festas de final de ano. “Antigamente, depois da ceia de Natal, podíamos sair para recolher os animais abandonados”, afirmou a porta-voz do abrigo, Gabriele Schwab.

No estado alemão da Baixa Saxónia, todos os 74 abrigos adotaram a proibição neste ano. “Um animal deve ser adquirido com muita consciência. Não é apropriado como um presente surpresa de Natal”, afirmou Dieter Ruhnke, da Associação de Proteção ao Animal Doméstico da Baixa Saxónia, ao jornal Hannoversche Allgemeine.

Segundo a instituição, muitos animais são devolvidos, não imediatamente após o fim do ano, mas entre fevereiro e março, quando se percebe o trabalho que dá cuidar deles.

Pelos mesmos motivos, muitas lojas especializadas na Alemanha também deixam de vender animais neste período do ano.

Deixe uma resposta

Por favor insira o seu comentário
Por favor insira o seu nome