Exposição no Museu do Louvre de Abu Dhabi mostra o real e o imaginário dos animais

Até o final de junho de 2019, pode ser vista no museu infantil do local uma exposição que retrata os animais como são de fato, reais, e o imaginário construído em volta deles por alguns povos e civilizações.

0
86

Um traço, dois traços, três traços, e um animal vai sendo desenhado numa projeção na parede. Antes que a figura se complete, tentem adivinhar qual vais ser o animal. O visitante anda mais um pouco e vê a sua sombra a aparecer, mas com uma juba e cauda de leão. É mais ou menos assim, feita de arte e interação, a exposição “Animais, entre o real e o imaginário”, que o Museu do Louvre Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, oferece para as crianças no seu museu infantil até ao fim de junho de 2019.

O espaço da exposição não é grande, mas colocou juntos o lúdico e a boa arte, com colorido sem exagero, com diversão sem necessidade de balbúrdia, refere a ANBA-Agência de Notícias Brasil-Árabe. A mensagem oficial do Museu do Louvre é que a exibição mostra como os animais têm sido representados de forma criativa ao longo da história da arte em todas as eras e regiões. Segundo o site do museu, foram usadas diferentes técnicas pelos artistas para representar o real e o imaginário dos animais.

O espaço central da exposição é feito de paralelos entre o atual e o histórico, o real e o imaginário. Perto de uma figura iluminada de um leão, por exemplo, há um prato pintado pelo artista William de Morgan, que viveu até ao início do século passado, no qual aparece um grifo, animal metade águia e metade leão. Ele pintava inspirado nas mitologias oriental e grega, e o grifo é uma figura lendária originada no Egito e Mesopotâmia (atual Iraque) há cerca de 5.000 anos. No prato trabalhado artisticamente, dois grifos estão voltados um para o outro, soltando ar do bico.

Ao lado da figura de um gato, há uma múmia do animal. No local foi posta uma placa explicativa, com texto nas versões árabe, francês e inglês, contando que no Egito Antigo os gatos eram associados à deusa Bastet, representada por este animal ou pelo leão. Segundo a nota, os gatos eram considerados animais especiais, deviam ser tratados com honra, criados perto de templos e mumificados e oferecidos a Bastet após a morte. Todas as partes que trazem as figuras dos animais juntamente com algum objeto ou obra de arte históricos têm essa explicação nos vários idiomas.

Assim como o gato e leão, outras figuras de animais ganham a companhia de um artefato antigo, nas quais impera principalmente o que foi imaginado para eles por aquele povo, civilização ou tempo. Uma máscara usada em cerimónias por um povo do Alasca para atrair sucesso nas caças e nas pescas chama a atenção. Ela representa a morsa, com as suas presas, o peixe, pelos olhos e nariz que traz, e o pássaro, com algumas penas.

Inaugurada em setembro, esta exposição termina no final e Junho de 2019 e é recomendada para crianças com idades acima de seis anos. O Museu do Louvre Abu Dhabi foi criado tendo como base o famoso museu francês e abriu as portas há cerca de um ano, resultado de uma parceria entre os governos dos Emirados e da França.
Ler notícia completa AQUI

Deixe uma resposta

Por favor insira o seu comentário
Por favor insira o seu nome