Brasil: Mais de 300 animais são salvos após rebentamento de barragem em Brumadinho

0
2125
Foto- Moises Silva do portal O Tempo

Dez gatos, incluindo três crias e duas gatas grávidas, estão entre os sobreviventes da triste tragédia ocorrida no dia 25 de janeiro em Brumadinho, estado de Minas Gerais, no Brasil.

Além de devastar vidas humanas e causar prejuízos imensuráveis ao meio ambiente, o rebentamento da Barragem de Brumadinho atingiu centenas de animais de diversas espécies.
Até o momento, cerca de 350 animais (incluindo os que puderam ser devolvidos às suas famílias ou ao seu habitat natural) foram socorridos pela Brigada Animal coordenada pelo CRMV – Conselho Regional de Medicina Veterinária de Minas Gerais. Desse total, 128 seguem em tratamento. São 65 cães (incluindo 9 crias nascidas após o resgate da mãe), 40 bovinos e várias aves e cavalos. Uma serpente, um cágado e um ouriço estavam em bom estado de saúde e foram soltos.

O CRMV fará uma exposição em Brumadinho com as fotos de todos os animais resgatados visando encontrar os tutores ou conseguir adoção.

Foto-Moises Silva do portal O Tempo
foto-CRMV Minas Gerais

Entre as histórias felizes estão a de Vitinho e Zeus, dois cães que permaneceram próximos dos destroços de suas casas. Estes animais puderam ser identificados e voltar para as suas famílias. A fidelidade canina foi tanta que, apesar de toda a situação de caos, sem comida ou água, eles insistiram em ficar no local onde ainda acharam que podiam rever os seus entes queridos até serem resgatados. Por sorte, um cão amarrado dentro de uma casa também foi salvo.

Foto do jornal Estado de Minas. Vitinho e Zeus devolvidos às suas famílias depois do desastre

Um dos bois resgatados ficou famoso e ganhou o nome de Resistência. Totalmente atolado, este animal resistiu durante estes dias, recebendo água e alimento até que pudesse ser retirado da lama pelos bombeiros. Lamentavelmente, outros dois bovinos, nos primeiros dias da tragédia, foram mortos sob a alegação de que não havia meios de resgatá-los. O fato causou revolta em ativistas da causa animal e população e, desde então, não houve mais eutanásias.

Além do incansável trabalho realizado por bombeiros e centenas de voluntários, as cadelas Sarah e Cléo, bem como os cães Thor e Resgate ganharam as manchetes dos jornais por terem participado nas operações de salvamento. O problema é que estes animais trabalham sem roupa de proteção contra a lama tóxica, obrigatória para bombeiros e voluntários. São heróis por imposição e não por escolha própria e, por isso, ONGs de proteção animal têm-se manifestado contra o uso destes canídeos nos resgates. Os cães podem detectar vida em escombros de desabamentos e terremotos mas, no caso da lama, eles ficam expostos à contaminação o tempo todo.

A cadela Sarah, do Corpo de Bombeiros de São Paulo, por exemplo, já é veterana. Ela ajudou a localizar corpos nos destroços do desabamento de um prédio no centro de São Paulo no ano passado. Há ainda mais 20 cães atuando com o Corpo de Bombeiros.
Outro herói canino atuante em Brumadinho é o cão Resgate. Ele foi encontrado num contentor de lixo na capital paulista e adotado pelo grupo “Resgate Sem Fronteiras”. Devido ao grande interesse de farejar coisas, o grupo começou a treinar Resgate para encontrar pessoas em desastres.

A empresa Vale, responsável pela Barragem de Brumadinho, foi intimada pelo Ministério Público a resgatar todos os animais envolvidos na tragédia e suportar todas as despesas tais como alojamento, tratamento e alimentação.

Assista ao vídeo dos animais a receber cuidados e tratamento médico

Deixe uma resposta

Por favor insira o seu comentário
Por favor insira o seu nome