Gatos inspiram artistas e curam com o seu ronronar

8
1028
Um dos gatinhos que vive no museu Hemingway e tem seis dedos.

Existem dois tipos de pessoas no mundo: as que amam gatos e as que só não amam porque ainda não conviveram com eles.

Mas basta passar uma temporada com alguns desses pequenos felinos para ter o seu coração sequestrado sem direito a resgate. São criaturas muito especiais que há séculos inspiram uma lista interminável de artistas.

Quem não conhece, por exemplo, o trabalho de Picasso, Frida Kahlo, Henry Matisse, Salvador Dali e Andy Warhol? Todos amavam gatos e costumavam ter mais de um.

Andy Warhol
Salvador Dali
Picasso

Entrando na literatura, basta citar Ernest Hemingway que, na sua casa na ilha norte-americana de Key West, chegou a ter 50 gatos ao mesmo tempo. Aliás, uma curiosidade é que há pelo menos 40 gatos com seis dedos a viver na casa do escritor transformada em museu (o gato na imagem em destaque deste artigo é um deles). São descendentes de um gato chamado Snowball que Hemingway recebeu de um capitão de navio de Boston.
O gato era portador de polidactilia (mutação genética que faz nascer dedos a mais) e cruzou livremente na ilha dando início a toda uma geração de gatos com tal anomalia. Isso não impede uma vida normal e os gatos com seis dedos são atração turística do lugar. Possuem suas próprias casinhas nos fundos do museu.

O escritor visionário Aldous Huxley e o aclamado Mark Twain também foram apaixonados por gatos. Charles Dickens escreveu: “Qual o maior presente que pode haver do que o amor de um gato?”. O enigmático Charles Bukowski fala dos gatos no seu poema chamado Estilo: “Já vi cães com mais estilo que homens. Todavia, poucos cães têm estilo. Os gatos têm-no em abundância”.

Aldous Huxley
Charles Bukowski

William Burroughs escreveu um romance autobiográfico chamado The Cat Inside (O Gato Interior) e nesse texto ele refere-se ao amor que tinha pelos seus quatro gatos: “A única coisa que pode resolver conflitos é o amor, como o que eu senti por Fletch e Ruski, Spooner e Calico. Amor puro. O que eu sinto pelos meus gatos no presente e no passado. Amor? O que é isso? O analgésico natural mais potente que existe. AMOR.”

William Burroughs
William Burroughs

Freddy Mercury amava gatos

Freddy Mercury

Concorre ao Óscar deste ano o filme “Bohemian Rhapsody” sobre Freddy Mercury, vocalista da banda Queen e um confesso amante de gatos. A sua paixão pelos felinos era tão grande que em sua casa, em Londres, ele chegou a dar um quarto para cada bichano: Tom, Jerry, Oscar, Tiffany, Dalila, Golias, Miko, Romeo e Lily. E aliás, ele gravou clip da música “Those Were The Days Of Our Lives” usando um colete de seda pintado com retratos dos seus gatos.

Mercury ligava para casa quando estava em viagem e pedia para sua amiga Mary colocar os gatos ao telefone para conversar com eles.

O cantor compôs ainda uma música especialmente dedicada para sua gata Dalila (Delilah) e que faz parte do álbum “Innuendo”.

Poderá ouvir aqui a música:

O ronronar que cura

Por ironia do destino, o ronronar do gato, que no passado foi considerado um perigo por supostamente causar doenças como a asma em humanos, hoje é reconhecido como um elemento terapêutico para problemas físicos e emocionais. Aquela vibração felina, que para os amantes dos gatos soa como música, pode contribuir para a cura de problemas nos ossos, músculos, tendões, ligamentos e articulações. Faz bem ainda para a pressão arterial, coração, depressão e ansiedade segundo estudos.

Um artigo publicado na revista Scientific American em 2003, já revelava que o ronronar pode ser muito benéfico à saúde dos gatos e dos humanos. Os felinos ronronam através de movimentos da laringe e dos músculos do diafragma num padrão vibratório entre 25 e 150 hertz e essas frequências – dizem os cientistas – podem melhorar a densidade óssea e promover a cura de células.
O estudo mostra que gatos não ronronam apenas por prazer, mas também quando estão numa situação que consideram difícil ou quando estão feridos. O ronronar promove uma recuperação mais rápida, por exemplo, de ossos quebrados.

A sugestão é que a frequência vibratória do ronronar pode produzir semelhantes efeitos benéficos na musculatura e parte óssea de humanos que convivem bem de perto com os gatos.

Conheça AQUI o artigo da Scientific American

O ronronar também parece amenizar ansiedade e stress nas pessoas. Uma experiência realizada nos EUA, em 2014, pela empresa de conteúdo digital SoulPancake, provou que o som do ronronar pode causar relaxamento imediato e que afagar e brincar com gatos é um excelente antídoto contra o stress. Pessoas que se consideravam stressadas foram convidadas a ouvir o ronronar dos bichanos por meio de auscultadores e também a ter um contato direto com eles num espaço montado a céu aberto.

O vídeo da experiência teve mais de 9 milhões de visualizações e pode ser visto aqui

Poema sobre o ronronar

Um singelo poema do escritor brasileiro Ferreira Gullar – outro apaixonado por gatos falecido em 2016 – aborda o ronronar com perfeição. Um presente para os amantes desses adoráveis felinos:

Ferreira Gullar

“O gato é uma maquininha que a natureza inventou: tem pelo, bigode, unhas e dentro tem um motor. Mas um motor diferente desses que tem nos bonecos porque o motor do gato não é um motor elétrico. É um motor afetivo que bate em seu coração, por isso ele faz ronron para mostrar gratidão. No passado se dizia que esse ronron tão doce era causa de alergia pra quem sofria de tosse. Tudo bobagem, despeito, calúnias contra o bichinho: esse ronron em seu peito não é doença – é carinho”

Resta-nos desejar um Feliz Dia do Gato e que esta data seja recordada todos os dias com os vossos amigos felinos.

8 Comentários

  1. Que linda a matéria!!!! Não conhecia o amor de todos esses brilhantes artistas pelos bichanos, e nem a pesquisa sobre o ronronar! Muito interessante e carinhosa essa matéria!

  2. Que delicia de matéria! Muito bom saber que os artistas e gênios afins conseguiram completar suas existências com a sensibilidade e afeto dos felinos. Vale lembrar que o incrível Guimarães Rosa também fazia parte desse time!

  3. Maravilhoso! Aborda todo amor de humanos/gatos de uma maneira simples e lógica! Só não gostam dos bichanos aqueles que não convivem e não sabem respeitar o seu espaço!!!! Parabéns pela matéria!

  4. Que matéria linda e motivadora para ter em casa um gatinho….. eles são carinhosos e muito observadores dos nossos comportamentos….. sabem a hora exata de demonstrar ajuda…. amei……😘😘👍🏼❤️

  5. Essa matéria é muito importante para estimular as pessoas a terem um gatinho…. eles sabem bem como fazer a gente feliz e de bem com s vida!!!! Sensacional 👍🏼👍🏼😘❤️

Deixe uma resposta

Por favor insira o seu comentário
Por favor insira o seu nome