Fátima ChuEcco estreia coluna na Miau Magazine

20
342

A jornalista brasileira Fátima ChuEcco, apaixonada por gatos e especializada em matérias sobre animais, é a nova colunista da Miau Magazine, onde já contribui com matérias diversas.

Fátima, que reside em São Paulo com suas gatas Dianna e Rebecca Selvagem, tem três livros publicados: “MI-AU BOOK – Um Livro Pet-Solidário” (2009), “MI-AU BOOK & CIA” (2010) e “Ághata Borralheira & Amigos tocando Corações” (2017), reunindo fotos de bichinhos do Brasil e de outros países, além de participações internacionais como Brigitte Bardot, o escritor australiano Bradley Trevor Greive (autor do best seller “Um Dia Daqueles”) e o grupo de proteção animal Rescue Ink de Nova York (EUA).

“MI-AU BOOK – Um Livro Pet-Solidário” é uma das publicações lançadas por Fátima ChuEcco

A jornalista também participou em quatro coletâneas: “Mundo Jovem”, “Animais – Amigos Importantes II”, “Somos Todos Animais” e “Direitos dos Animais e Deveres do Homem”. Também coordenou a Trilogia Literária do Projeto Mucky que defende os primatas brasileiros.

Os seus mais recentes lançamentos são os fotolivros “Férias no Mausoléu” e “Penso, Logo, Mio e Existo” dos quais gatos de toda parte podem participar como personagens das histórias.

Dianna e Rebecca Selvagem com a MIAU Magazine

Os fotolivros são fruto do facebook https://www.facebook.com/aghataborralheirabook/ mantido pela jornalista e que tem como personagens principais suas gatas Dianna e Rebecca Selvagem

Fátima escreve no portal ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais há dez anos e atuou também nas revistas Meu Pet, Mãe Terra, 7 Dias com Você, Única, Viver Bem, Newton e Única, Foi editora do programa SBT Repórter do canal SBT, além de atuar como repórter especial de jornais e portais.

Entre 2015 e 2016 foi assessora de imprensa do Projeto Ecológico Tecendo as Águas, do Instituto Supereco. Durante seis anos foi assessora de imprensa do Consulado da Austrália no Brasil sendo responsável também pelo conteúdo do Guia Oficial da Austrália, onde ressaltava as faunas silvestre e selvagem daquele país.

Abraçou ainda a causa dos Gorilas das Montanhas da República Democrática do Congo sendo elogiada pelo Pnuma (da ONU) por sua atuação junto à mídia brasileira no Ano Internacional do Gorila (2009). No Brasil é voluntária no setor de comunicação do Santuário Ecológico Rancho dos Gnomos.

De forma independente criou e dirigiu o evento “100 Anos do Museu Paulista”, também conhecido como Museu do Ipiranga por ficar às margens do Rio Ipiranga e onde D.Pedro teria proclamado a independência do Brasil.

Fátima ChuEcco vai estrear as sua colaboração semanal com a MIAU Magazine a partir do próximo dia 30 de maio. Não perca os MIAUravilhosos conteúdos da Coluna da Fátima ChuEcco AQUI

 

20 Comentários

  1. Conheço de longa data o trabalho da jornalista Fátima Chuecco e tenho certeza que a coluna trará assuntos muito interessantes!!!

  2. Amei a matéria! Vou compartilhar… eu já tinha percebido essa diferença nos sons de miados em lugares diferentes… mas achava que era impressão minha, que estaria sugestionada pelo idioma diferente que eu ouvia os humanos, mas não! O universo felino sempre nos surpreendendo! 🥰

    • Eliane… sim… o universo felino surpreende muito… e é uma delícia poder mergulhar um pouquinho no mundo dos bichanos! Obrigada pelo feedback!

  3. Linda matéria, adorei a entrevista.
    Aqui na minha casa no entanto, acredito que a minha Fridinha, ela mia, e eu entendo tudo o que ela quer, assim como quando falo com ela, ela entende, e me fita com um olhar atento parecendo entender o que falo com ela. Também são muitos anos juntas (19 anos, 3 meses e 23 dias).
    Parabéns mais uma vez pelo lindo trabalho.

    • Zeza… que maravilhosa essa gatinha Frida… chegar a essa idade é mesmo um presente. E depois de tantos anos juntas vcs devem se comunicar até mesmo pelo olhar. Acertei?

  4. Excelente matéria! Consegue ser, a um só tempo, esclarecedor, informativo e divertido! Que a coluna da Fátima na”Magazine Miau” repita o seu sucesso nas publicações brasileiras!

    • Alexandre obrigada! O tema ajudou a gerar um texto interessante. Cada vez mais a gente descobre coisas fantásticas no mundo animal e o mundo dos felinos é um mar de surpresas agradáveis!

  5. Muito legal a matéria! É sempre bom conhecer mais sobre o mundo felino… amo gatos e tudo q sai sobre eles me fascina muito.

    • Eliane… obrigada pelo feedback… tb amo gatos e sempre busco novidades sobre esses animais tão encantadores. Quinta que vem tem mais!

  6. Impressionante como a jornalista Fátima ChuEcco consegue prender a atenção do leitor com matérias ricas em detalhes, mostrando-nos com clareza uma perspectiva muito envolvente. Parabéns por ser inspiração. Pretendo lhe conhecer pessoalmente um dia e parabenizá-la pela excelente profissional que é.

    • Querido advogado… muito obrigada… eu tb lhe dou parabéns pelo trabalho importante que vc vem desenvolvendo pelos animais em situação de rua no Rio Grande do Norte. Emprestar a profissão para uma causa tão nobre é tb motivo de admiração!

  7. sempre adotei gatos de rua, agora estou com 4, e todos miam diferente e eu sei como é o miado de cada um! gostei da matéria.

    • Tania… parabéns por adotar gatinhos e bom saber que vc confirma o estudo que trata a matéria. Cada gato tem seu miado, né?

  8. Parabéns pela coluna, Fátima. O mundo dos gatos é fascinante. A matéria me remete a uma gata que alimentei na rua durante mais de oito anos, desde o nascimento até quando ela sumiu. Era feral, ninguém podia tocar nela, nem eu, mas gostava muito de se esfregar em mim e “falava” muito comigo. Eu a chamava de Espoleta. Nessas “conversas” ela tinha formas de miar e uns sons muito estranhos que eram só dela e, talvez, só para mim. Hoje, quem frequenta mais assiduamente o lugar que ela deixou é uma gatinha (chamo-a de Priscila) de comportamento muito parecido com o dela, só que é mais afável. Com alguns cuidados, até permite uns afagos. Priscila tem uma linguagem corporal muito parecido com a de Espoleta, mas os sons são absolutamente idênticos. São dois repertórios básicos; uns miados à distância, quando me vê, e uns sons indescritíveis quando está me rodeando os pés. Até a forma como se esfrega nas minhas pernas, me impedindo de andar, me lembra Espoleta. É como se ela estivesse aqui de novo, no corpo da outra, com os mesmos trejeitos, a mesma voz, e falando as mesmas coisas. Acho que Priscila é descendente de Espoleta, mas isso parece pouco para semelhanças tão marcantes.

    • Paulo… que excelente seu relato sobre gatinhas em situação de rua. Talvez os animais que vivem nas ruas desenvolvam certos miados que são necessários à sobrevivência nessas condições. Talvez alguns miados que gatos criados em casa não tenham. É um hipótese. Mas certamente a Espoleta tinha sim miados dirigidos apenas à vc. Quanto à Priscila há várias hipóteses para a semelhança. Uma delas vc apontou que é a descendência direta. Outra seria reencarnação da Espoleta? O mundo é tão cheio de mistérios… quem sabe né?

  9. Parabéns pela matéria Fátima! Sempre me perguntei isso e nem imaginava que havia até estudo sobre isso! Adoro seu trabalho! Um grande abraço!

    • Hellen… muito obrigada por acompanhar meu trabalho. E fico feliz de vc ter gostado da matéria. Esse estudo é mesmo interessante e todas nós que temos gatos sabemos o quanto é um estudo verdadeiro.

  10. Que boa notícia essa coluna! Vou seguir as publicações com certeza! Já conheço muito bem o trabalho da Fátima, e tenho certeza que será sucesso!

Deixe uma resposta

Por favor insira o seu comentário
Por favor insira o seu nome