Hoje é Dia Internacional do Animal Abandonado

0
198

Só no ano passado, deram entrada nos Centros de Recolha Oficial (CRO) mais de 36.500 animais, segundo dados publicados pela DGAV (Direção Geral de Alimentação e Veterinária).

O número é inferior ao do ano anterior – em que foram recolhidos 40.674 animais –, mas está longe de refletir a totalidade das situações de abandono em Portugal.

Há muitos animais que são deixados diretamente às portas de associações de apoio animal, de clínicas veterinárias ou até mesmo na rua, e que não entram para esta estatística.

A Animalife assinala a data com a publicação de um trabalho especial dedicado ao tema, incluindo um artigo de opinião pelo Presidente da associação, Rodrigo Livreiro.

O abandono

É ainda em Portugal um problema sério no que diz respeito ao bem-estar animal.

Rodrigo Livreiro – Presidente da Animalife

Apesar dos únicos números oficiais disponíveis apontarem para uma diminuição do total de animais recolhidos pelos Centros de Recolha Oficial (CRO), todos sabemos que esses dados não espelham a totalidade dos animais efetivamente abandonados.

A Animalife luta, desde a sua criação em 2011, para pôr um fim definitivo ao abandono de animais de estimação. Acreditávamos na altura, e continuamos a acreditar agora, que a solução passa por apoiar economicamente aqueles que se vêm obrigados a entregar os seus animais por não poderem cuidar deles. É isso que fazemos todos os dias.

Admitimos que possa haver, em certos casos, comportamentos sociais irresponsáveis por parte dos detentores, mas, em momento algum, consideramos que essa possa ser apontada como uma das principais causas para o abandono de animais em Portugal.

Defendemos o princípio da detenção responsável e, nesse sentido, elencamos a esterilização, a identificação eletrónica e a adoção como três estratégias fundamentais para prevenir e minimizar o impacto do abandono de animais de companhia.

E quando falamos em esterilização referimo-nos a todos os animais, principalmente aos pertencentes a famílias com poucos recursos, e não somente à esterilização de animais errantes. Mas infelizmente as medidas de apoio às famílias carenciadas não parecem ter grande acolhimento junto das autarquias.

O abandono é um problema estrutural que pede uma maior intervenção e cooperação de todas as entidades públicas e privadas envolvidos na sua prevenção. É a isso que apelamos nesta data tão pesada para a causa animal.

Rodrigo Livreiro – Presidente da Animalife

Sobre a Animalife

Publicado por Animalife – A criar histórias felizes em Sexta-feira, 12 de julho de 2019

Criada em 2011, a Animalife (www.animalife.pt) é uma associação sem fins lucrativos cuja principal missão reside no envolvimento e na sensibilização da comunidade para os problemas do abandono e maus tratos de animais de companhia, atuando sobre as suas causas.

Atualmente, conseguimos dar apoio a cerca de 250 entidades de apoio animal e a mais de 700 pessoas em situação vulnerável, num universo de mais de 2400 animais ajudados.

A Animalife tem sede em Lisboa e abrangência nacional, graças à participação de voluntários espalhados pelo país e à dinamização de uma rede social própria.

Ao longo dos anos, tem investido em três linhas de ação: apoio a associações e grupos de proteção animal; apoio a famílias em situação de carência económica; e acompanhamento de pessoas em situação de sem-abrigo com animais a cargo.

Clique AQUI para aceder ao portal web da Animalife

 

Author: Miau Magazine

Deixe uma resposta

Por favor insira o seu comentário
Por favor insira o seu nome