Entrevista a Maria Ángeles Toscano, Diretora de Corporate Affais da Royal Canin Iberia

0
299

No dia 21 de junho assinala-se o Dia Internacional de Levar o Cão para o Trabalho. E, tendo em conta esta efeméride, a MIAU Magazine entrevistou María Ángeles Toscano, diretora de Corporate Affairs da Royal Canin Iberia, uma empresa cujos escritórios em Lisboa e em Madrid são há muito pet-friendly.

As políticas pet-friendly da Royal Canin e os benefícios que estas têm trazido para os seus colaboradores bem como a componente de responsabilidade social da marca são alguns dos temas abordados nesta entrevista.

Miau Magazine: Os escritórios da Royal Canin em Lisboa e em Madrid são há muito pet-friendly, por permitir que os colaboradores possam diariamente levar os seus cães para o trabalho. Notam que o ambiente fica mais agradável e o trabalho mais produtivo devido à presença destes “ajudantes” de quatro patas?

María Ángeles Toscano: Temos notado muitos benefícios de trazer os animais para o trabalho. O primeiro de todos é que o ambiente é mais positivo e que toda a gente gosta de estar com os animais de estimação dos colegas. Também ajudou a reduzir um pouco o stress diário, especialmente naqueles dias com uma agenda muito ocupada, em que ser capaz de levar o nosso cão para passear ou tê-lo por perto depois de uma reunião intensa pode fazer a diferença. E por último, mas não menos importante, achamos que os nossos associados acham que esta é a forma mais fácil de combinar a vida pessoal e profissional, já que não precisam de se preocupar com questões como onde deixar os animais de estimação quando vão para o trabalho.

Uma vez que nem todos os cães se dão bem logo de início, que preparação tiveram os funcionários para garantir a segurança dos animais e uma harmoniosa convivência entre eles, nos casos de machos/fêmeas Alfa?

O primeiro passo para que o nosso escritório “pet-friendly” funcione bem é o facto de os nossos associados serem responsáveis ​​pelos seus animais de estimação. Eles precisam de garantir que os seus animais estão saudáveis e que se sintam à vontade entre as pessoas e outros animais. Precisamos de garantir que esta é uma experiência positiva para todas as pessoas que frequentam os nossos escritórios e também para os próprios animais de estimação, por isso não faria sentido trazer um cão que fica stressado ao estar na presença de outros, por exemplo.

E todos os colaboradores concordam com esta iniciativa da Royal Canin, mesmo aqueles que não têm cães ou qualquer outro animal de companhia? O facto de os funcionários poderem levar consigo os cães, levou a que aqueles que até então não tinham um cão ou gato, optassem por incluir um patudo nas suas vidas?

O escritório “pet-friendly” tem deve ser uma experiência positiva para todos os associados. É por isso que as pessoas que trazem os seus cães partilham a experiência primeiro com os seus colegas de mesa e, no caso de uma alergia ou qualquer outra preocupação, são tomadas medidas concretas. Tem sido um processo tranquilo porque os associados que trazem os seus cães cuidam deles e contribuem para gerar um ambiente de trabalho positivo e tranquilo para todos. Mesmo para alguns associados cujo primeiro contacto diário com um animal de estimação aconteceu nos nossos escritórios, e todos concordam que os resultados são mais do que positivos.

Acreditamos genuinamente nos impactos positivos de trabalhar com animais de estimação no escritório

Já promoveram alguma iniciativa para a adopção de animais em parceria com Entidades (Associações, abrigos, Centros de Recolha Oficiais), dirigida aos funcionários mais «hesitantes» em serem tutores de cães ou para a sociedade em geral?

Desenvolvemos diferentes trabalhos voluntários com abrigos ao longo do ano e atualmente estamos a participar num programa do qual temos muito orgulho. Estamos a colaborar com a Bocalan, uma associação que treina cães para crianças com autismo, ajudando 3 cachorrinhos Labrador durante o seu período de socialização. Estes cachorrinhos ficam com diferentes associados ao longo do seu primeiro ano de vida, recebem treino básico de socialização e, depois, finalizam o seu treino de assistência com a Bocalan. Por fim, os cachorros são dados a uma família com uma criança que sofre de autismo. Isto é muito importante porque com a ajuda destes cães estas crianças conseguem ter resultados muito positivos.

Agora uma questão que também pode servir de ideia e sugestão: Sendo a MIAU Magazine a única revista Portuguesa e Brasileira que fala essencialmente sobre gatos e de tudo o que diga respeito a estes misteriosos animais, esta questão impunha-se. A Royal Canin já pensou – ou está a pensar – em criar escritórios “Cat Friendly” com a presença de gatos sem dono ou abandonados que, por exemplo, possam ter sido acolhidos por uma associação e estejam à procura de um novo lar?

Os nossos escritórios já são “cat-friendly”, porque recebemos cães e gatos. A única questão é que, como é do conhecimento geral, os gatos stressam-se muito facilmente, por isso tendencialmente as pessoas trazem mais os cães do que os gatos. Estamos abertos a mais possibilidades diferentes, porque o nosso principal objetivo é garantir o bem-estar dos animais de estimação e criar um mundo melhor para eles. É por isso que estamos sempre a colaborar com vários projetos todos os anos.

Precisamos de garantir que esta é uma experiência positiva para todas as pessoas que frequentam os nossos escritórios e também para os próprios animais de estimação

A Royal Canin assinala, dia 21 de junho, o Dia Internacional de Levar o Cão para o Trabalho. Mas existem mesmo funcionários ou colaboradores dos escritórios da empresa em Madrid ou Lisboa que levam o seu cão todos os dias – ou quase – para o trabalho?

Este dia é especial, mas sim, há associados que trabalham diariamente com os seus animais de estimação. E eles são na verdade parte da nossa equipa!

De que forma a Royal Canin promove este tipo de iniciativa junto dos seus clientes ou parceiros?

Os nossos escritórios são “pet-friendly”, por isso ficamos mais do que felizes em receber os animais de estimação dos nossos clientes ou parceiros durante as suas visitas.

Considera que todas as empresas ou Entidades deveriam adotar uma cultura como a que a Royal Canin há muito vem desenvolvendo, incentivando os seus colaboradores a levar o seu animal de companhia para o local de trabalho?

Acreditamos genuinamente nos impactos positivos de trabalhar com animais de estimação no escritório e gostaríamos de ver outras empresas a fazer o mesmo. Isto significaria que estávamos a criar um mundo melhor para os animais de estimação, fazendo com que se sintam mais bem-vindos, e também a tornar-nos melhores tutores de animais de estimação, sendo mais responsáveis ​​pelos nossos gatos e cães e assegurando que eles são capazes de desfrutar de um ambiente com mais pessoas.

 

Author: Miau Magazine

Deixe uma resposta

Por favor insira o seu comentário
Por favor insira o seu nome