O seu gato come coisas estranhas?

0
313

Muitas vezes recebo queixas de tutores de gatos a respeito de um comportamento que não lhes agrada: seus gatos têm mania de comer “coisas estranhas” como papel, plástico, embalagens, linhas, sabonete e até mesmo a areia usada na bandeja higiênica.

Esse tipo de comportamento que tem um nome estranho – é chamado “transtorno pica” –  pode nos dar indícios de que algo não vai bem com o felino.

O transtorno pica ou alotriofagia, como também é chamado, pode ocorrer por alguns motivos diferentes, mas é fundamental consultar um médico veterinário para identificar qual deles o seu pet apresenta.

Em filhotes que não tiveram contato com a mãe e irmãos, por exemplo, pode indicar falta de socialização e de entender o que é ou não comestível, uma vez que é comum que a mãe os direcione para o alimento quando iniciam o desmame.

Em jovens mais agitados e que não fazem muita atividade, pode indicar ócio e estresse, parecido com a destruição às vezes feita por filhotes de cachorro que passam horas sozinhos.

Deficiências nutricionais também podem fazer com que os gatos tenham atração por determinadas substâncias, como é o caso de alguns que comem pedacinhos de parede, lambem tijolos ou estruturas de ferro.

Algumas areias, dependendo do tipo de material com a qual são feitas, podem ser atrativas. Aqui no Brasil, por exemplo, é comum termos areias de farinha de mandioca, milho e fubá que, além de poderem prejudicar o trato respiratório se fizerem “poeira”, podem ser confundidas com alimento (por mais que essa não seja a intenção primária do produto).

O tratamento do problema varia de acordo com o motivo que faz o gatinho ingerir substâncias não comestíveis e normalmente requer um cuidado redobrado por parte do tutor, que deverá dificultar o acesso aos produtos que ele tem predileção e também mudar seu manejo no dia a dia, oferecendo mais atividades físicas e mentais, além de manter ração disponível o tempo todo.

Na maioria das vezes, em animais de estimação, o comportamento pica tende a ser transitório e o quanto antes ele cessar, melhor, afinal, ingerir objetos e produtos inapropriados pode causar cólicas intensas, intoxicação, obstrução intestinal, entre outros que podem colocar a vida do gato em risco.

 

Jade Petronilho
Author: Jade Petronilho

Colaboradora da MIAU Magazine, Jade Petronilho é jornalista e comportamentalista veterinária, estudante de medicina de pequenos animais e pós-graduanda em nutrição animal. Apaixonada desde criança por pets, hoje partilha da companhia de três cães e dois gatos, Kinus e Emily, além de atualmente ter uma família de quatro felinos morando no telhado de sua casa

- Advertisment -
Partilhar
Artigo anteriorPorto: Centro de Recolha Animal prepara-se para abrir portas
Próximo artigoInaugurado Parque Canino no Seixal
Colaboradora da MIAU Magazine, Jade Petronilho é jornalista e comportamentalista veterinária, estudante de medicina de pequenos animais e pós-graduanda em nutrição animal. Apaixonada desde criança por pets, hoje partilha da companhia de três cães e dois gatos, Kinus e Emily, além de atualmente ter uma família de quatro felinos morando no telhado de sua casa

Deixe uma resposta

Por favor insira o seu comentário
Por favor insira o seu nome