Santuário de gatos na Síria tem até cantor

6
864

O nome desse gatinho rajado é King Maximus Marley e ele tem se esforçado bastante para arrecadar fundos para o Ernesto`s Paradise (Paraíso do Ernesto), conhecido também como Santuário do Ernesto para Gatos na Síria.

A vida naquele país, como todos sabem, não está fácil e a situação do santuário também se complica à medida que chegam mais gatos resgatados de cidades bombardeadas.

Maxi, como é chamado pelos mais íntimos, está fazendo a parte dele, afinal, o Ernesto`s Paradise tem atualmente 400 gatos, além de alguns cães, cavalos, coelhos, macacos, aves, um burrinho e uma galinha muito simpática chamada Ludovica, que convive muito bem com os felinos. “Amiga mesmo”, diria Maxi.

Por trás desse nobre, mas também perigoso trabalho, está Mohammad Alaa Aljaleel que ficou famoso em 2012 ao ser filmado distribuindo comida para os gatos vítimas da guerra. Ele foi apelidado de “O homem-gato de Aleppo” – cidade onde fazia a maior parte do seu trabalho como motorista de ambulância e aproveitava para ajudar os gatos famintos e feridos que encontrava pelo caminho.

De lá para cá muita coisa aconteceu. O antigo abrigo que Aljaleel abriu para os gatos foi bombardeado em 2017 e o santuário atual teve de ser erguido do zero.

Por conta disso, no repertório de King Maximus Marley, que fez curso rápido de guitarra, está uma música de sua autoria que diz mais ou menos o seguinte (conforme letra original postada no facebook do santuário):

“Não, gatinho, não chore… Oh estou miando para os meus fãs… Agora sou um rei pobre, um artista de rua… Eu canto o dia todo e o gatinho Simba apanha as moedas… Estou pedindo sua ajuda porque o inverno está próximo e precisamos de alimentos para meus súditos… E também para meu maravilhoso e pobre pelo real…Continuam trazendo novas bocas para alimentar todos os dias… Então abra seu bolso e me envie todos os beijos verdes que puder (pode ser notas verdes também)… Por favor não me decepcione…E gatinho… não chore não…Tudo vai ficar bem!”

Como a condição do país impede muitas vezes a busca de alimentos e medicamentos doados, o santuário necessita de colaborações em dinheiro ou angariar fundos por meio de seus produtos à venda no site  www.ernestosanctuary.org .

Um veterinário atende 24 horas no local e uma equipe se arrisca diariamente no socorro de gatos em meio aos escombros de cidades destruídas. Veja como ajudar em  https://myevent.com/ernestoscats

Curiosamente, embora sejam muitos, todos os animais recebem nome como Zorrito, Meschka, Anna Banana, Gordito, Erik, Ciquita, Deano, Shadi, Cupcake, Cervejas e Crocus. O santuário recebeu o nome de Ernesto em homenagem ao gato mais antigo de Aljaleel que, infelizmente, não foi mais visto depois que saiu do abrigo para dar umas voltas nas redondezas. Até um tempo atrás o local não era todo protegido por cercas e Ernesto se arriscou numa aventura.

O facebook do Ernesto`s Paradise tem muitas fotos e vídeos dos animais lá hospedados. Vale a pena conferir e conhecer melhor esse belo e heróico trabalho acessando https://www.anda.jor.br/2017/03/homem-reconstroi-santuario-de-gatos-destruido-em-meio-a-guerra-na-siria/ .

Mas eu também fiz um vídeo com belas imagens desses “órfãos da guerra”, capturadas do facebook do abrigo,  com trilha sonora do gatinho Maxi:

CONVITE

Conheçam a página de minhas gatinhas Dianna e Rebecca Selvagem acessando https://www.facebook.com/aghataborralheirabook/

Obrigada por acompanhar essa coluna dedicada aos amantes de gatos e até quinta que vem!

Author: Fátima ChuEcco

Fátima Chuecco é uma jornalista brasileira especializada em matérias sobre animais e apaixonada por gatos. Mora em SP com suas gatas Dianna e Rebecca Selvagem.

6 Comentários

  1. Num país tão sofrido onde não tem comida para o povo uma alma consegue fazer quase um milagre quanta bondade adorei a matéria parabéns

Deixe uma resposta

Por favor insira o seu comentário
Por favor insira o seu nome