Telepatia Felina: O seu gato sabe o que você está pensando

27
868

Dia de levar o gato ao veterinário mas… cadê o gato? Sumiu! Você pode até fingir que é só mais uma manhã comum e nem sequer mexer na casinha de transporte para não levantar a suspeita dele, porém, tudo em vão. Ele já captou sua intenção.

Na hora de dar o remédio a cena se repete, ou seja, ele some antes mesmo de você pegar o comprimido.

Além disso, ele também sabe quando você está voltando para casa independente do horário e meio de transporte. Se você entrar na garagem do prédio com um carro diferente e subir de elevador, impedindo dessa forma qualquer orientação por meio do faro, ainda assim, pode ter certeza: ele já sabe que você está chegando.

E isso não acontece só com gatos, mas também com cachorros conforme refere o pesquisador Rupert Sheldrake, formado em Ciências Naturais, Filosofia e Bioquímica.

Triste, Cão, Animal, Animal De Estimação, Brown
Tal como o gato, o cão também sabe quando você está voltando para casa

 

O estudo, documentado no livro “Cães sabem quando seus donos estão chegando” e que acaba de completar uma década, contou com dois mil casos em diferentes países e situações.

Em experiências filmadas, o pesquisador constatou que cães e gatos conseguem antever a chegada de seus tutores em horários aleatórios, até mesmo quando chegam de táxi ou em veículos desconhecidos por eles, ou seja, em situações em que não é possível perceber o cheiro, ouvir a voz do tutor e nem reconhecer o ruído de um carro. Isso porque, de alguma forma, as pessoas comunicam a intenção de voltar para casa telepaticamente.

Alguns animais demonstram ainda reações quando seus tutores estão sofrendo ou morrendo em algum lugar distante. “Encaro a comunicação telepática como normal e não como fenômeno paranormal. Ela existe entre animais, pessoas e também entre animais e pessoas unidas por laços afetivos. É a mesma capacidade que nos faz pensar numa pessoa e, instantes depois, ela nos telefonar ou mandar uma mensagem”, explica Sheldrake.

Alguns gatos se escondem até uma hora antes de serem levados ao veterinário

Animais de estimação também podem reagir antecipadamente à chegada de amigos próximos da família, passeadores de cães e a profissionais pelos quais sentem aversão, como a visita de um veterinário, por exemplo. “Assim, a capacidade dos bichos de saber quando as pessoas estão chegando depende de ligações emocionais que podem ser positivas ou negativas”, comenta.

Além de captar as intenções de seus tutores, os animais captam também as emoções. Muitas pessoas relatam que seus animais ficam mais próximos e carinhosos quando elas estão tristes ou doentes. Tanto as intenções quanto as emoções podem ser captadas a longas distâncias. “Podemos influenciar animais a distância porque permanecemos conectados aos seres que amamos mesmo quando estamos longe deles”, diz.

Quem antecipa mais a chegada dos tutores? Gatos ou Cachorros?

Cão E Gato, Bonito, Pet, Amizade, Doce, Animal

Com relação aos felinos, a pesquisa de Sheldrake mostra que 70% antecipam a chegada de apenas uma pessoa da família, 20% de duas e 10% de três ou mais.

Dos casos investigados, 78% dos cães reagem à chegada de apenas uma pessoa, 17% de duas e 5% de três ou mais.

A reação mais comum, tanto em gatos quanto em cães, é se dirigirem para portas e janelas. Alguns ficam observando a maçaneta.

E vejam que curioso:

Como em alguns países os bichanos vivem soltos embora tenham casa, é comum eles se encontrarem com seus tutores no caminho de volta à casa fazendo parte do trajeto junto com eles. Há relatos de gatos que aguardam seus tutores em pontos de ônibus ou estações de trem.

O especialista diz ainda que os gatos parecem ter notável capacidade para sentir se seus tutores ou pessoas com as quais convivem estão próximos da morte: “Geralmente emitem sons incomuns, miados queixosos ou gemidos”. E nesse ponto há o caso de gatinho que ficou muito famoso justamente por prever a morte de pacientes de um lar de idosos.

O Gato Oscar

Oscar, um gatinho que ganhou fama devido ao seu dom especial-2. Foto Steerehouse.org

Em 2005 um gatinho apareceu no terceiro andar da “Steere House Nursing and Rehabilitation Center”, nos Estados Unidos.

O terceiro andar era a última parada dos pacientes idosos em estágio avançado de demência. Eram pessoas que já não se lembravam dos parentes ou de quem foram, mas a chegada de Oscar mudou para sempre a vida dos pacientes, familiares, médicos e enfermeiros.

Oscar ia até o quarto do paciente, deitava-se na cama e fazia uma vigília em silêncio. Essa era a forma dele avisar que o paciente estava prestes a morrer. Num primeiro momento isso pode parecer mórbido, mas na verdade Oscar permitia que parentes fossem avisados a tempo de um adeus.

Em 2010 a história foi relatada no livro “O incrível dom de Oscar”. E para saber se o protagonista ainda está vivendo no lar de idosos, entrei em contato com o geriatra David Dosa que, aliás, é o autor da obra.

Vejam a resposta dele na íntegra:

“Obrigado por perguntar. Oscar ainda está vivo, mas ele está mais ou menos aposentado neste momento. Ele permanece na casa de repouso, mas agora sai principalmente com as enfermeiras. Oscar estava perto da morte há alguns anos, quando teve uma terrível reação alérgica a alguma comida que ele conseguiu alcançar no chão. Ele foi levado para o pronto-socorro e pensaram que ele iria morrer. Nós o levamos de volta para a casa de repouso, mas o tratamento com um medicamento usado para reações alérgicas estava desligando seu coração. Nós resolvemos parar com o tratamento e seu coração começou a funcionar de novo. Por causa desse episódio, agora não temos mais Oscar perambulando pelo prédio, mas ele ainda é amado na Steere House”.

Veja o vídeo (em inglês) de Oscar passeando pelo lar dos idosos na época em que seu dom veio a público:

O Dr Dosa assinala que existe uma explicação biológica para o dom de Oscar: “Enquanto as células morrem, carboidratos se desintegram em muitos compostos oxigenados diferentes, inclusive em cetona, conhecida por seu odor perfumado. Talvez Oscar tenha a capacidade de farejar esses compostos químicos liberados um pouco antes da morte”.

Mas ressalta: “No entanto, não gosto de pensar nele como um simples detector de cetonas. Gosto de pensar que Oscar manifesta companheirismo para com os funcionários que tentam deixar a morte desses pacientes mais humana e amena, inclusive, contatando seus familiares”. Ele acredita que o papel de Oscar não está preso apenas a uma reação bioquímica:

“O trabalho de Oscar é servir de companhia nas horas finais. E ele é, muitas vezes, a única família que restou aos doentes”.

Bonito não?

COMENTE em baixo e ganhe prémios:

E o seu gato? Também capta suas intenções e emoções? Conte para nós deixando um comentário neste artigo. Na semana passada foi sorteado um calendário entre as pessoas que deixaram comentários e a sortuda foi Rose Polycarpo.

Já leu a nova edição da MIAU Magazine? Desta vez, temos para sortear a versão digital desta revista.

CONVIDO ainda para conhecerem a página de minhas gatinhas Dianna e Rebecca Selvagem, que ilustram esse artigo, no facebook onde são postadas fotos e vídeos das aventuras delas

https://www.facebook.com/aghataborralheirabook/

Obrigada e até semana que vem!

27 Comentários

  1. Tenho 4 gatos e 3 cachorros e toda vez que chego em casa os cachorros vem todos felizes pra me receber, e ao abrir a porta da sala estão os 4 gatos me olhando e miamdo. E muito bom, realmente sao seres extraordinários. Amo muito minhas crianças, pois e assim que os chamos, tantos os caes quanto os gatos.

    • Eloá… vc tem bastante material de estudo na sua própria casa, ne? Sete bichinhos lindos!E todos certamente sabem quando vc está chegando em casa! Obrigada por contar sua história.

  2. Gatos são espetaculares com certeza, o povo egípcio já os tinha como divindades, e não estavam errados… Temos muito a aprender com nossos bichanos!!!!

  3. Muito interessante saber sobre a telepatia em relação a hora da chegada em casa. Sempre achei que a conexão seria com o olfato dos peludinhos.

    Já tive gatos e cães e e eles demonstram muita solidariedade tanto nas horas de alegria quanto de tristeza. Eles são incríveis!

    A história de Oscar é demais!!! Fiquei feliz em ter notícias dele, pois fazia tempo que não sabia o que tinha acontecido. Ótimo que está aposentado mas saudável.

    • Soraia… tb fiquei feliz de saber do Oscar. Tenho o livro dele e achei que seria importante checar como ele vive hoje. E quanto ao olfato, de fato, não interfere nessa conexão telepática… o fio condutor é o amor entre animal e seu tutor.

  4. É verdade mesmo isso! Quando eu era mocinha, eu tinha um gatinho que sabia a hora exata que eu voltava da escola, independente se eu saia mais cedo, ele sempre estava me esperando e seguia para a casa cima dos meus cadernos! Saudades dele… Já virou estrelinha há 24 anos!

    • Hellen… que gracinha esse gatinho… veja que forte conexão ele tinha com vc! Obrigada por nos contar essa história!

  5. É verdade mesmo.Sinto q o meu gato Elvis ,um gato amarelo lindo e bravo,sabe a hora q vou chegar.Abro a porta da sala e ele já esta ali me esperanfo.Quando penso em tomar banho ,ele já está deitado no tapete em frente ao box,e também qdo vou dormir q não é no mesmo horário todos os dias,já está deitado na cama.Fica mais ou menos meia hora e sai.Circula a noite toda pq dorme muito durante o dia.Como moro em casa e é toda protegida por muros e grades ,não tem como ir para rua. E tbm quando chego com saco de ração parece q sentiu o cheiro de longe.E muitas outras reações dele q parece q lê meus pensamentos. Só que como sempre tive gatos percebia q realmente são animais muito especiais,companheiros,amorosos,ciumentos,sensíveis com uma percepção fora do comum

  6. Gostaria de fazer uma crítica sobre o formulário de newsletter que aparece ao iniciarmos a leitura. Ele acaba atrapalhando e minha sugestão é que deveria estar no final da matéria.

  7. Que incrível a capacidade do Oscar……em uma época bem próxima, ainda se falavam somente dos cães com essa capacidade de reconhecer e sentir coisas….. que bom esse reconhecimento com os felinos…. dessa forma, Teremos cada vez mais gatinhos sendo adotados e amados….adorei a matéria…👍🏼👍🏼❤️

  8. A minha primeira gatinha, Mica, sabia quando eu estava para chegar em casa. Ela ia para a porta de entrada e ficava miando. Isso acontecia todos os dias e minha mãe, que morava junto, já sabia que eu estava a caminho. Quando eu abria a porta, ela me olhava, dava um pulo e corria pela casa. Saudades da minha menina. Depois que ela se foi, há uns 30 anos, nunca mais mais deixei de ter gatos. E, realmente, eles tem uma sensibilidade incrível.

    • Rossane… que interessante seu relato. Obrigada por compartilhar. A Mica adorava te esperar e nunca errava… se ia pra porta e miava era vc chegando. Que graça!

  9. Que lindo o artigo! … adorei a história de Oscar … e sim, frequento a casa de uma grande amiga que possui muitos gatinhos, lindos e safados também! … é verdade, somem quando têm que ir ao veterinário e/ou tomar medicação! … mas também são muito gentis … quando querem … kkkkkkkk … gatos são maravilhosos, afetuosos, companheiros, mas tudo parece ser mesmo na medida certa! Lambeijos para Dianna e Rebecca Selvagem!

    • Vera… obrigada por seu relato… na minha casa é igual… Dianna desaparece quando precisa ir ao veterinário… e pra dar algum medicamento eu sambo muito porque ela tb percebe… são muitos sensíveis… e seu recado será dado a elas…

  10. Tenho apenas uma gata com 7 anos de idade, todos os dias ela me espera na janela que fica aberta para que ela tome sol, já que moramos em um prédio no terceiro andar, devidamente telado. Desta janela normalmente ela espera e quando me aproximo começa a miar demonstrando para os vizinho que estou chegando. É um amor enorme.

    • Sandra… que interessante… ela está afinadíssima com vc… conexão forte… obrigada por compartilhar sua história

  11. Eu acredito mto nisso pq qnd algum vizinho passa no corredor aqui do meu andar, a Pipoca nem se importa, mas qnd é meu marido q esta chegando, assim q abre a porta do elevador, ela ja corre e fica na porta esperando!! Eles sao mto sensiveis e inteligentes!!
    Amei a historia do Oscar tbm, emocionante.
    Fátima, qnd puder faça uma matéria sobre como eles ajudam pessoas q estao com depressao, doentes… como te disse, a Pipoca Cat é minha prova disso. Bjss adoro suas materias

    • Cintia… obrigada pelo relato… e gostei muito de sua sugestão… vc já está convidada a participar se tiver experiência nesse campo.

  12. Adorei a matéria e saber que o Oscar está vivo. Faz um bom tempo que li o livro escrito pelo médico que cuida dos pacientes desse hospital mencionado. Quero dizer que a ciência sempre procura explicações lógicas mas é certo de que o Oscar, a exemplo de outros gatos e cachorros observados, pressentia a partida daquelas pessoas e os ajudava no momento do desencarne. É sabido que os animais possuem percepções que vão além de nosso entendimento. Convivi com um papagaio que era o meu xodó e vice-versa. Ele desencarnou no ano passado, em meus braços e antes do último suspiro ele fez sinal de que queria subir no meu ombro, onde costumava ficar para andarmos, e morreu ali. Deu um suspiro e se foi. Quando contei ao veterinário dele, ele ficou muito surpreso pois nunca tinha visto isso antes. Os animais são especiais, todos.

    • Debora… que lindo relato… eu tb estou certa dessa sensibilidade que, ao meu ver, é muito menos biológica e muito mais emocional. Obrigada por compartilhar

Deixe uma resposta

Por favor insira o seu comentário
Por favor insira o seu nome